Doutorado em andamento

RESUMO

LEONARDO SILVA PROJETO DE PESQUISA DE DOUTORADO
O Conselho Monetário Nacional (CMN) e a política econômica brasileira: uma
análise sociológica
Esta pesquisa tem um duplo objetivo: 1) realizar uma prosopografia dos membros do
Conselho Monetário Nacional (CMN) e; 2) mapear as decisões mais importantes
promulgadas pelo CMN e analisá-las à luz dos perfis de seus membros e dos padrões de
relacionamento entre eles assim como também das características políticas e
econômicas de cada período considerado. Dada a massa de informações disponíveis,
optou-se por centrar a análise em 5 períodos de cerca de dois cada. Os períodos
escolhidos são: 1) 1964-1967; 2) 1974-1976; 3) 1979-1981; 4) 1985-1987 e; 5) 1995-
1997. Para realização do estudo serão mobilizados sobretudo os métodos
bibliográfico/documental, a prosopografia e a Análise de Correspondências Múltiplas
(ACM). Os dados utilizados na análise serão coletados em fontes como os verbetes
biográficos do Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro: Pós-1930, as entrevistas da
Coleção História Contada do Banco Central, as atas das reuniões do CMN, os artigos e
entrevistas produzidos por jornais e revistas, etc.
JAMES THOLL PROJETO DE PESQUISA DE DOUTORADO
THAMIRES LUZ DE PAULA E SILVA PROJETO DE PESQUISA DE DOUTORADO
“Mulher de preso” está pagando:  a prisão enquanto espaço de encontro entre mercado e intimidade em um contexto de interiorização penitenciária no estado de São Paulo

Este trabalho é uma oportunidade de aprofundamento dos achados de pesquisa durante o mestrado. Nele, a categoria nativa, denominada de “turismo penitenciário”, se mostrou como um dos vários pontos de intersecção que demonstraram como a prisão é alocada em cidades interioranas do estado de São Paulo enquanto empreendimento econômico. Fenômeno que deu luz à gestão utilitarista de um circuito próprio, de bens materiais e pessoas, para além das muralhas do cárcere. Nesta pesquisa de doutorado nos interessa aprofundar nas protagonistas do “turismo penitenciário”, em sua maior parte mulheres, reconhecidas pela categoria nativa “mulher de preso”, que acodem periodicamente a fim de realizarem visitas aos  membros familiares então detidos. Grande parte da população carcerária alocada no extremo Oeste do estado de São Paulo é proveniente da capital e arredores, portanto, não possuem vínculos afetivos nas cidades em que cumprem pena. Ademais, o próprio fluxo inerente ao dispositivo carcerário paulista tornou os familiares de presos agentes de uma população de característica flutuante. Municípios locais situam as visitantes como principais consumidoras ao mesmo tempo em que lhes nega qualquer participação social para além das relações de mercado, configurando grupos de opostos. Assim, pretendemos apreender a forma multifacetada em que economia e prisão se articulam dialogando entre as duas áreas de concentração da Sociologia: a punição e a econômica; com o objetivo de elucidar a mercantilização dos circuitos prisionais.

 Palavras-chave: Turismo – Prisão – Mercado – Mulheres